ARTIGO: UM DESGOVERNO SE CONHECE AMIÚDE

Por Kennedy Nunes

Nas últimas semanas, os deputados estaduais de base eleitoral em Joinville têm sido criticados por conta dos investimentos do governo do estado, que segundo os críticos são maiores para Florianópolis do que para Joinville, quando a cidade do Norte do estado tem maior população. Há inverdade nas acusações, vejamos:

Os valores destinados pelo governo estadual têm como destino a infratestrutura de estradas, trevos, rotatórias, elevados estaduais e não municipais. Florianópolis difere de Joinville por ter mais intersecções estaduais. Em Joinville nossas maiores avenidas ficam limitadas ao munícipio, sem intersecção com uma rodovia estadual, cito como exemplo a Avenida Santos Dumond, a Albano Schmidt, a Hellmuth Fallgater, a Tuiuti, A Monsenhor Gercino e a Minas Gerais, que ligam a cidade ao bairro. Na capital, a maioria é estadual.

Deixemos de lado as obras de mobilidade urbana, vamos falar de projetos em outras as áreas. A porta de entrada para a prefeitura solicitar investimento estadual são os Conselhos da SDR – Secretaria de Desenvolvimento Regional. Procurei a SDR para saber como andam os projetos encaminhandos pela Prefeitura de Joinville e recebo a informação de que 80% dos projetos apresentados não evoluem por falta de documentação da própria prefeitura. Entre 2009 e 2011, apenas seis projetos receberam dinheiro do estado, a grande maioria está parada por falta de documentação, por falta de agilidade, por desgoverno de nosso atual prefeito.

O que dizer diante disto? Que os deputados da região não trabalham por Joinville? Que o governo ignora a maior cidade do estado? Não. Está mais do que claro que a incompetência municipal é responsável pela baixo investimento em Joinville. É olhando amiúde, nos erros cotidianos que podemos enxergar o desgoverno a que Joinville tem sido submetida nos últimos anos.

Your Turn To Talk

O seu endereço de email não será publicado