DEPUTADO KENNEDY SAI DO PARTIDO PROGRESSISTA

Decisão foi tomada após anúncio do Pacote que inclui aumento do IPTU

CARTA ABERTA SOBRE MINHA DESFILIAÇÃO DO PARTIDO PROGRESSISTA

Kennedy Nunes

É com tristeza que anuncio minha saída do Partido Progressista. Um partido ao qual estou filiado desde 1997 e pelo qual participei de cinco eleições, uma a vereador, duas a prefeito e duas a deputado estadual, tendo vencido em três delas. Saio triste porque sempre acreditei em sua ideologia e em seus ideais e foi com base neles que reverberei meus propósitos e desejos ao eleitor de Joinville e de Santa Catarina. Eleitor que entendeu meu recado, me fazendo o mais votado do partido em Santa Catarina nas últimas eleições.

Saio porque fiz uma composição com o Partido dos Trabalhadores, do hoje prefeito, Carlito Merss, sob a promessa de que futuramente faríamos a diferença. Não foi isso que aconteceu. Nosso partido tinha convicções e propostas nas quais eu ainda acredito, que foram aceitas por Carlito e jogadas fora em seguida. Qual a atitude do PP em relação a isso? Rasgou suas convicções para não romper com o prefeito. Eu rompi.

Tenho muito bom relacionamento com o partido estadual. Minha decisão tem a ver com os desmandos do diretório municipal, tem a ver com a infidelidade não só para comigo, mas para com os eleitores de Joinville que acreditaram em nossas propostas. Cito pelo menos duas de grande relevância, o subsídio das passagens no transporte coletivo de Joinville e o preço da água. Duas já sabidas facadas no peito do cidadão joinvilense.

Depois desse episódio, eu fiz um único pedido ao Diretório Estadual e não fui atendido. Eu pedi ao diretório estadual que intervisse em Joinville para que o partido saísse do Governo Carlito. Hoje ainda, o PP é aliado e ocupa cargos na prefeitura de Joinville. Mais do que isso, a Executiva do partido em Joinville tem como presidente a chefe de gabinete do vice-prefeito, tem como vice-presidente local o secretário da infraestrutura da Prefeitura, e tem como tesoureiro geral o Secretário do Desenvolvimento Econômico de Joinville. Resumindo,  as reuniões da Executiva do Partido mais parecem reuniões do colegiado de Carlito.

Por último, mas certamente não menos importante, vejo o Prefeito de Joinville lançar 60 itens que não bastasse ser uma ação tardia, é absurdamente panfletário. Um joguete para iludir a população. Não posso aceitar um tipo de ação como essa que fala em enxugar a máquina e não tem sequer um texto de lei pronto. Uma ação que quer antecipar a cobrança do IPTU, além de aumentá-lo em 5% para destinação do fundo de defesa civil e usar o fluxo financeiro de 2012 em 2011. Se eu tinha alguma esperança nesse governo após a divulgação desses 60 itens foi o tiro de misericórida. Não posso mais romper com ele, rompo, pois, com o Partido Progressista de Joinville.

Sei que a pergunta que ouvirei nas próxima semanas será “Qual seu destino?”. Respondo antecipada e sinceramente que não sei. Minha decisão foi tomada ouvindo as vozes da rua e do meu coração. Hoje, tenho certeza de que o momento chegou. Que meu futuro está na filiação a um novo partido não há dúvidas, mas posso dizer sem medo de errar, esse novo partido não será um partido que apoie o PT em Joinville.

Por fim, sou um político com um importante partrimônio político, a palavra, e por defesa desta que tomo esta atitude.

Your Turn To Talk

O seu endereço de email não será publicado