PIRACICABA PODE SER EXEMPLO PARA JOINVILLE

Viadutos são solução para trânsito de Joinville

O Deputado Kennedy Nunes (PP) visitou Piracicaba, no interior de São Paulo na última segunda-feira, onde se encontrou com o Secretário de Obras da cidade, Arthur A. Ribeiro e visitou algumas obras de viadutos em andamento. Hoje o município paulista trabalha na construção de dois viadutos e de uma ponte estaiada de 260 metros com mirante.

A boa notícia é que Piracicaba está realizando esse projetos com recursos próprios. “A Secretaria de Obras tem orçamento até dez vezes menor que o de Joinville”, destaca o deputado que voltou da viagem animado com a possibilidade de ver obras semelhantes no norte do estado, que vem sofrendo nos últimos anos com o aumento da frota de veículos e os constantes engarramentos.

Em seu twitter (@deputadokennedy), o Deputado postou fotos das obras, citou valores e lembrou que destinou 7 milhões de Reais no PPA para que a Prefeitura de Joinville pudesse dar início aos projetos. Em uma das postagens provocou: “Saio de Piracicaba com duas certezas: é possível fazer e vai ter gente que vai ter que engolir seco o que falam sobre elevados em Joinville”

Por que é possível?

O Engenheiro Joerg Kaulich acompanhou o deputado na visita para oferecer um olhar técnico sobre as obras e tem razões para crer que é um ótimo caminho para a construção de viadutos em Joinville. O primeiro fator de barateamento da obra é a contratação de empresas específicas para cada etapa. “Se você contrata uma empresa para fazer tudo, ela vai subcontratar e aí entra também esse custo no total”, explica Kaulich. Ele explica também que isso só é possível porque há um projeto muito bem detalhado que permite agir assim. Enquanto uma empresa se dedicou ao cimbramento, outra trabalhou na estrutura de concreto, outra na terraplenagem e outra no sistema viário.

No entanto, explica Kaulich, antes de tudo isso, foi feita uma pesquisa por uma empresa de consultoria que apontou os pontos críticos de tráfego e a melhor solução de projeto. “Veja que foram apresentados dois projetos, um mais barato, com rotatória e outro, mais caro, com elevado. O com rotatória, apesar de mais barato, em cinco anos não suportaria mais o tráfego. Escolheram então a opção por viaduto, apesar de ser mais cara”, conclui.

O tempo médio de construção de uma obra dessas, com extensão entre 200 e 300 metros fica em torno de dois anos. Para o deputado Kennedy Nunes, “não dá mais para esperar. Ainda mais quando vemos uma cidade construir com recursos próprios seus elevados. Joinville precisa acordar”, diz Kennedy.

Your Turn To Talk

O seu endereço de email não será publicado