MERCOSUL: CARTA DE CHAPECÓ PROPÕE MAIOR INTEGRAÇÃO

Kennedy (C) coordenou discussão sobre turismo e questões fronteiriças durante Seminário da UPM em Chapecó.

Kennedy (C) coordenou discussão sobre turismo e questões fronteiriças durante Seminário da UPM em Chapecó.

Chapecó sediou o Seminário Mercosul Cidadão, promovido pela União de Parlamentares Sul Americanos e do Mercosul – UPM, nos dias 21 e 22 de agosto, que teve como objetivo propor ações para dar ao Mercosul maior caráter social e cultural afinando projetos e leis que facilitem a relação não só das economias, mas dos cidadãos dos países envolvidos.

Temas como turismo, integração cultural, problemas fronteiriços e uso racional do Rio Uruguai foram discutidos durante o evento e incluídos na Carta de Chapecó que foi entregue ao Embaixador Ruy Pereira, representante permanente do Brasil junto ao Mercosul e à ALADI (Associação Latino-americana de Integração).

O deputado Kennedy Nunes  (PSD-SC), vice-presidente do bloco brasileiro na UPM e coordenador das oficinas de turismo e questões de fronteira, avaliou positivamente as decisões do grupo e acredita que as propostas são plenamente realizáveis. Entre elas, está a que sugere a formação de um fórum permanente para discutir o turismo no Mercosul, incluindo a criação de um roteiro de turismo e criação de um site com todas as informações túristicas das cidades participantes.

A realização de um congresso com operadores de turismo, Poder Público e iniciativa privada também é visto com bons olhos pelo deputado, uma vez que visa a capacitar e integrar os agentes de turismo, fortalecendo a atividade nos países do bloco.

Com relação aos problemas de fronteira, o grupo decidiu criar um fórum permanente de integração e solução de conflitos e propor que as polícias tenham acesso aos bancos de dados de delitos dos países vizinhos. Na área de saúde, a proposta é de criação de um sistema integrado para os moradores de fronteira.

O trânsito também foi discutido, especialmente os deslocamentos entre os países, a Carta sugere procedimento padrão (veja como é hoje) para saída e entrada de veículos em todos países integrantes e a aceitação por parte dos pedágios, de pagamento por cartão de crédito ou débito. Hoje os pedágios aceitam apenas o pagamento em moeda do país. A criação de uma legislação única de trânsito para os países também foi discutida e encaminhada.

Além desses assuntos, o evento discutiu e acrescentou à carta temas como o corredor biooceânico e a interação entre as universidades. Para Kennedy a realização dos projetos previstos na Carta de Chapecó significará um avanço social imensurável ao Mercosul.